Tem sido muito comum a disseminação de mentiras e notícias falsas. Por isso, com transparência e de forma direta, oferecemos a você este espaço para esclarecimento. 

Queremos acabar com as fake news!

FAKE NEWS

“Merisio foi investigado pela operação Lava Jato”

Não, Merisio não está na lista da Lava Jato e também não foi investigado nem processado.

Merisio não tem nenhum processo na Justiça que questione sua atuação como homem público. Ele é um dos únicos pré-candidatos que mostra sua Ficha Limpa, que pode ser conferida por qualquer pessoa.

Para tirar a prova, você também pode usar o aplicativo Detector de Ficha de Político, lançado pelo site Reclame Aqui, que mostra como está a situação dos candidatos na Justiça.

Saiba mais sobre o app clicando aqui e aqui.

FAKE NEWS

“Deputado Gelson Merisio apoia Michel Temer”

Não, Merisio inclusive se posicionou contrário a diversas medidas proposta por Temer.

Merisio é deputado estadual e trabalha na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, enquanto o presidente Michel Temer (PMDB) depende politicamente do apoio dos deputados federais em Brasília, em especial os de seu partido, como os parlamentares Ronaldo Benedet, Mauro Mariani, Rogério Mendonça, Valdir Colatto e Celso Maldaner, todos do PMDB. Isso significa que Merisio não teria nem como votar a favor das propostas do governo federal.

ESCLARECIMENTO

“Merisio critica o PMDB depois de 8 anos juntos no governo”

Gelson Merisio acredita que a sociedade precisa de novas opções para a eleição.

PSD e o PMDB agem com visões distintas em relação a uma série de questões. Como presidente do PSD-SC, Merisio tem apenas demonstrado que a aliança construída nas últimas eleições está absolutamente desgastada. Merisio já tinha defendido o fim da aliança em 2014, mas o encaminhamento na reeleição do governador Raimundo Colombo foi pela manutenção.

Um exemplo claro é o caso das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs): Merisio defende a extinção completa do modelo, enquanto os peemedebistas defendem sua manutenção.

FAKE NEWS

“Merisio fala em corte de gastos, mas gastou R$ 83 milhões em um prédio para a Alesc”

Não foi Merisio o responsável pela compra! Essa foi uma decisão administrativa de outra gestão da Assembleia Legislativa.

A compra do prédio de R$ 83 milhões não passou por uma decisão de Merisio, só aconteceu depois do fim do seu mandato como presidente da Alesc.

Nos seus três mandatos (2011/ 2012-2013 / 2015-2016), Merisio reduziu em 50% o número de funcionários efetivos da Casa e instalou o ponto biométrico. Apenas na redução dos gastos com diárias, o valor caiu 43% no período entre os anos de 2014 e 2016.

Merisio também deu início à prática de devolver os recursos economizados dentro do orçamento anual. Com isso, mais de R$ 300 milhões já foram retornados para que o Estado pudesse aplicar em áreas essenciais. Apenas das economias de 2016,R$106 milhões foram devolvidos para investimento em Saúde, para mostrar o exemplo de um ano.

ESCLARECIMENTO

“Uma aliança com 14 partidos vai exigir acomodar milhares de cabos eleitorais dentro do governo de Merisio”

Os partidos não terão cargos no governo pois será feita uma redução de quase 90% nos cargos comissionados.

Merisio defende a ruptura da prática de indicações políticas nas estruturas públicas, que ele chama de “geografia das urnas”. A redução proposta por ele é de 1260 dos 1460 cargos existentes hoje no governo estadual. Desde o primeiro momento, a conversa com as legendas que estarão juntas com o PSD foi nesse sentido.