Vamos efetivar as regiões metropolitanas da Grande Florianópolis e Joinville, defende Merisio em roteiro no Norte

Candidato da coligação “Aqui é Trabalho” esteve em Araquari e Joinville nesta quarta-feira (19)

 

Efetivar a criação das regiões metropolitanas da Grande Florianópolis e de Joinville para alavancar o desenvolvimento das cidades polos e dos municípios vizinhos. Este foi o compromisso firmado pelo candidato a governador Gelson Merisio (PSD) durante agenda em Araquari e Joinville nesta quarta-feira (19).

Em reunião na Associação Empresarial de Araquari, Merisio afirmou ter convicção da necessidade urgente da criação da Região Metropolitana de Joinville, antiga reivindicação de moradores do Litoral Norte Catarinense. “A diferença de uma Agência de Desenvolvimento Regional para uma região metropolitana é exatamente o advento natural. Região Metropolitana não se cria por decreto, não se cria com uma lei, se convalida com uma situação natural de necessidade da economia na sua composição, de ter integração no transporte, na bacia hidrográfica, no sistema de segurança. E isso ocorre, na minha visão, em dois locais de Santa Catarina: a Grande Florianópolis e a região de Joinville”, destacou o candidato da coligação “Aqui é Trabalho”.

“A partir do centro populacional se constrói a solução para as necessidades periféricas dos municípios, das comunidades. Isso é muito mais importante do que as barreiras administrativas impostas pelas ADRs, que representam um modelo administrativo que não deu certo”, disse Merisio, acrescentando que a partir de janeiro, caso seja eleito, a efetivação das duas regiões metropolitanas será uma das prioridades do seu governo.

“Força em Brasília”

Ao receber documento com as reivindicações da Associação Empresarial de Araquari, o candidato destacou a importância de o Estado ter uma “representação forte em Brasília”, já que muitas das demandas tratam de infraestrutura viária de responsabilidade do governo federal, como melhorias nas BRs-101, 280 e 282.

“É importante termos uma força política expressiva de dois ex-governadores exercendo a função de senadores, e uma bancada coesa na Câmara Federal, para que possamos construir um ambiente para que Santa Catarina deixe de ser o 6º Estado em arrecadação e o 22º em retorno de recursos federais”, enalteceu o candidato.

Foto de Marcus Quint

 

Depois de Araquari, Merisio, acompanhado do candidato a vice-governador João Paulo Kleinübing e do candidato ao Senado Esperidião Amin, foi visitar duas das mais importantes indústrias de Santa Catarina, a Schulz, maior fabricante de compressores da América Latina, e a Docol, maior empresa da América Latina no segmento de metais economizadores de água.

Na Schulz, ciceroneado pelo presidente Ovandi Rosentstock, e na Docol, recepcionado pelo presidente Guilherme Bertani, Merisio voltou a destacar a prioridade no enxugamento da máquina do Estado, reafirmou seu compromisso com o ambiente empreendedor e a decisão de não aumentando impostos em hipótese alguma.

Hospitais

Em Joinville, Merisio também esteve reunido com representantes da Sociedade Joinvilense de Medicina, onde ouviu as demandas do setor e apresentou algumas de suas propostas de governo para a área da saúde. O candidato reiterou sua decisão de remeter para o Estado a folha de pagamento do Hospital São José, que apesar de ser municipal atende pacientes de Joinville e municípios vizinhos, e de investir em tecnologia para melhorar e otimizar o atendimento à população.

Questionado sobre o modelo de administração hospitalar que defende, Merisio enfatizou que, na opinião dele, não importa se a unidade de saúde é gerida por uma Organização Social, por uma entidade filantrópica ou pelo município. “O que a população quer é que funcione. O que temos é que ter um padrão de qualidade para todos os tipos de administração hospitalar”, defendeu. “Temos vários hospitais bem-sucedidos em todos os modelos – OS, filantrópico e público”, acrescentou.

 

Foto de Marcus Quint