Criação do Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina

2016 foi um ano difícil para a Saúde catarinense. Com o agravamento da crise financeira, o repasse para a área diminui. Os mutirões de cirurgias eletivas pararam. Para resolver isso, Merisio propôs a criação do Fundo Estadual de Apoio aos Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina, HEMOSC e CEPON, ideia abraçada pelo Governo do Estado e que se transformou na Lei nº 16.968 em julho. Agora, os poderes podem destinar os seus recursos economizados para o fundo. Do total, 90% é repassado para os hospitais filantrópicos realizarem cirurgias eletivas e 10% vai para o HEMOSC e para o CEPON.

O primeiro depósito foi feito em 9 de agosto, por Merisio, no valor de R$ 50 milhões, dinheiro economizado pela Assembleia Legislativa no ano anterior. Junto, Merisio devolveu mais R$ 56 milhões para os cofres públicos, destinados para o pagamento da dívida do Estado com os hospitais filantrópicos.